coletivo-conformidade

Olá! Somos a Rede Povos da Mata, uma articulação entre produtores da agricultura familiar, agricultores assentados da reforma agrária, comunidades indígenas e quilombolas, agricultores em geral e consumidores-coprodutores. Somos a primeira Organização Participativa de Avaliação da Conformidade (OPAC) do estado da Bahia, buscando certificação orgânica participativa dos produtos agrícolas e seus derivados.

Nossa missão é constituir o Sistema Participativo de Avaliação da Conformidade Orgânica (SPG) através de um processo de geração de credibilidade em rede, fomentando a interação das pessoas e organizações, estimulando processos internos espontâneos e próprios, promovendo a Agroecologia e qualidade de vida, através de ações educativas, socioculturais, ambientais e de cidadania.

Apoiamos produtores a certificarem e comercializarem seus produtos orgânicos e oferecendo aos consumidores, além de produtos com garantia de origem, um contexto onde podem conhecer e participar dos processos que levam um bom alimento da roça mais próxima até a mesa da sua casa!

Nossa visão é ser reconhecida pela promoção do associativismo na produção e no consumo de produtos orgânicos, aproximando de forma solidária os agricultores e os consumidores, resgatando e valorizando o saber popular.

Somos credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a emitir certificado e selo orgânico desde agosto de 2016. Desde então, já certificamos mais de 50 famílias produtoras.

Nosso objetivo é assumir a responsabilidade formal perante o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), pelo conjunto de atividades desenvolvidas no Sistema Participativo de Garantia da qualidade orgânica da Rede de Agroecologia Povos da Mata conforme legislação vigente; incentivar o associativismo na produção e no consumo de produtos orgânicos; aproximar, de forma solidária os agricultores e os consumidores; fomentar o intercâmbio, o resgate e a valorização do saber popular e realizar atividades educativas, socioculturais, ambientais e de cidadania.

Através de ações educativas, socioculturais, ambientais e de cidadania, nutrimos confiança e credibilidade em rede, fomentamos interações entre pessoas e organizações, apoiamos processos internos espontâneos e próprios dos grupos envolvidos, e promovemos a Agroecologia e qualidade de vida.

Somos guiados pelos valores:
Ética
Identidade, Autonomia e Auto estima do agricultor
Transparência
Participação de gênero e geração
Confiança
Gestão Participativa
Solidariedade
Responsabilidade social, ambiental e cultural
Cooperação
Respeito Mútuo
Comércio justo

Por meio da certificação participativa, integramos o SisOrg – Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica, dando o direito a todos os fornecedores a comercialização dos produtos orgânicos, em todo território nacional, usando o selo oficial “Brasil Orgânico” criado pela regulamentação nacional.

Na área de capacitação e cultura, são realizados atividades de formação durante todo ano, tais como: cursos; oficinas; mutirões; viagens técnicas; troca de saberes, sementes, alimentos e experiências entre diversas redes de agroecologia.

Na área de comercialização os membros da Rede Povos da Mata têm buscado privilegiar os produtos da época e os mercados locais em circuitos curtos. Os circuitos curtos consideram além da proximidade geográfica (distância), a proximidade social com um número reduzido de intermediários (que participam da Rede) entre produtor e consumidor e uma circulação de mercadorias com a garantia de origem, por meio da certificação participativa.

O Que é a Rede de Agroecologia Povos da Mata?

A Rede surgiu em abril de 2015 a partir da integração de organizações e associações da agricultura familiar, quilombola, indígena e da reforma agrária que tem na promoção da Agroecologia seu objetivo principal. A Rede é um espaço de articulação entre agricultores familiares e suas organizações, organizações de assessoria e pessoas envolvidas e simpáticas com a produção, processamento, comercialização e consumo de alimentos ecológicos.

A Rede Povos da Mata tem como metas fortalecer a agroecologia em seus mais amplos aspectos, disponibilizar informações entre os envolvidos e criar mecanismos legítimos de geração de credibilidade e de garantia dos processos desenvolvidos por seus membros. Em sua estrutura de funcionamento a Associação Povos da Mata Atlântica do Sul da Bahia de Certificação Participativa assume a responsabilidade formal pelo conjunto de atividades desenvolvidas no Sistema Participativo de Garantia da Rede de Agroecologia Povos da Mata, conforme legislação vigente, devido ao seu credenciamento no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Como funciona a Rede de Agroecologia Povos da Mata?

A unidade operacional da Rede são os Núcleos Regionais formados por grupos de agricultores, consumidores e entidades de assessoria. Atualmente são 03 Núcleos Regionais, envolvendo cerca de 40 grupos de agricultores, num total de 700 famílias. Participam ainda cooperativas e grupos de consumidores de produtos ecológicos. São atendidas aproximadamente 06 feiras de venda direta. A Rede de Agroecologia Povos da Mata é uma articulação aberta a entrada de novos grupos que seguem os princípios da agroecologia, com uma tendência de crescimento para os próximos anos. Os núcleos localizam-se em:

  • Ibirapitanga e Região
  • Serra Grande e Região
  • Ilhéus / Itabuna e Região
  • Arataca e Região

Para capacitar os produtores rurais e melhorar cada vez mais a variedade e qualidade dos produtos oferecidos, fazemos mutirões e atividades de formação durante todo o ano, tais como cursos, oficinas, palestras, viagens técnicas, trocas de saberes, sementes e produtos.

Para promover o consumo consciente, quem compra da rede posicionam-se como co-produtor, sendo ativo nos processos de criação da rede e acompanhando e contribuindo com os agricultores. O acesso aos produtos se dá através de cestas personalizadas e feiras. Nossos co-produtores sabem das vantagens implícitas em consumir produtos locais e da época.

Os circuitos de circulação e comercialização de alimentos orgânico

Também privilegiamos os circuitos curtos, considerando não só a proximidade geográfica entre produção e consumo, mas também a proximidade social entre produtor e consumidor, diminuindo tanto quanto o possível o número de intermediários dessa relação.

O Circuito se organiza em ‘estações’ que correspondem as organizações envolvidas do Núcleo Regional da Rede de Agroecologia Povos da Mata, com a gestão coletiva feitas pelas famílias agricultoras e coprodutoras consumidoras do circuito. A articulação entre pedidos e oferta ocorre por comunicações telefônicas e via pedidos pelo link das estações na internet, feitas entre os agricultores e consumidores interessados. O intercambio de produtos é realizado por caminhões e veículos dos próprios agricultores que vão até as estações. Aproximadamente a cada 60 dias ocorre uma reunião, onde produtores representantes de suas estações, associações, cooperativas que se encontram para tomadas de decisões, formação de preços, planejamentos, logística e organização das ofertas e demandas.

Com essas práticas, buscamos também do democratização do acesso aos alimentos agroecológicos para população, independente da classe socioeconômica.

Critérios para participar da Rede de Agroecologia Povos da Mata

1. Estabelecer uma relação de confiança entre todos os membros do grupo;
2. Presença ativa de no mínimo seis meses nas reuniões, processos organizacionais e trabalhos coletivos para então vir a ser membro da Rede.
3. Produtos comercializados tem que ser agroecológicos;
4. Quem vende também tem que comprar os produtos dos outros membros, o que permite: a) troca e circulação de produtos de outras regiões; b) aumento da oferta de produtos; e c) redução dos custos de frete.

Visamos o reconhecimento pela promoção do associativismo na produção e no consumo de produtos orgânicos, aproximando de forma solidária os agricultores e os consumidores e resgatando e valorizando o saber popular.

A Rede de Agroecologia Povos da Mata conta com apoio do Instituto Arapyaú, Funbio e Instituto Mecenas da Vida, além de ter parcerias com o SEBRAE e o Instituto Cabruca.